terça-feira, 15 de junho de 2010

Dança Gospel

Dança Gospel



O tema dança, esteve durante muito tempo fora do contexto das igrejas evangélicas. A associação entre dança e a adoração a Deus só era feita, quando se citavam os textos clássicos sobre o tema. Como exemplo podemos citar a dança do rei Davi diante da presença de Deus e também o texto da dança da profetiza Miriã com as mulheres, após a travessia do mar vermelho. Todos admiravam o fato do Rei Davi ter dançado movido pelo Espírito levando a arca da aliança, que simbolizava a presença de Deus, porém, era como se esta realidade estivesse longe do atual contexto da Igreja. Pouco se ousava falar sobre o assunto. Nos últimos quinze anos esta realidade mudou muito. Nós como igreja temos descoberto que esta forma de louvar e adorar a Deus está disponível a todos nós, pois assim nos entregamos a Ele de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e com toda a sua força.

Uma grande quantidade de grupos de dança tem surgido no meio das igrejas evangélicas, utilizando um tipo de dança que leva a congregação a se expressar diante de Deus de forma livre ou dirigida, se curvando, aplaudindo, saltando, levantando as mãos, enfim, dançando. A dança tem se tornado, no culto, tão importante quanto a música para louvar e adorar a Deus, expressar os sentimentos, pensamentos e para representar cenas bíblicas. São ministrações cheias de significado, utilizando-se de símbolos formados através dos próprios movimentos acrescidos de objetos significativos como bandeiras, estandartes, vasos de barro e etc. A direção do louvor com danças deve, assim como a direção do louvor com músicas, respeitar alguns princípios para que o ministério possa fluir de forma abundante. Gostaria de citar então, algumas qualidades que o dirigente de um grupo de louvor e adoração com danças deve buscar:

1- Ter um chamado de Deus para o ministério
A pessoa que irá assumir a direção do louvor com danças, deve ser alguém chamado por Deus para trabalhar nesta área. Não pode simplesmente ser alguém que goste ou tenha habilidade para dançar. Muitos líderes procuram aqueles que têm habilidade, mas se esquecem do chamado e acabam colocando a pessoa em uma posição em que não deveria estar. Estar no centro do propósito de Deus para as nossas vidas é um dos princípios básicos para termos um ministério ungido. A liderança da igreja deve orar por alguém que possua ambas qualidades: o chamado e a habilidade. “Eis que chamei pelo nome a Bezalel... e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício...” Ex 31: 1,3

2-Ter habilidades para o ministério
O dirigente de adoração com danças, deve ser alguém que também possua habilidades naturais na área da dança e que seja alguém disposto a desenvolver estas habilidades. O grupo precisa ter ensaios regulares onde estarão desenvolvendo técnicas corporais na área da dança. Para tal, é necessário que orem para que Deus levante profissionais da área que se disponham a ensinar e treinar o grupo.

3-Precisa ser um adorador
A adoração que é feita junto com a congregação deve ser a extensão da vida de adoração que cada crente deve ter na sua intimidade com Deus. O dirigente de louvor com danças deve então, em seu momento a sós com Deus, ministrar diante dEle dançando. Desta forma, sua ministração junto à congregação, não será uma representação, mas uma realidade de vida que poderá realmente trazer o mover de Deus. Uma pessoa que dança em louvor e adoração somente quando existem pessoas olhando, deve questionar se sua dança realmente está sendo direcionada a Deus ou às pessoas.

4-Ter maturidade espiritual
Ter um caráter de adorador, é um princípio que nos habilita a trabalhar em toda e qualquer área dentro da Igreja. Consiste em ter uma vida de santidade, de entrega e renúncia diante de Deus, além de um coração humilde, submisso e ensinável. Quantas vezes recebemos reclamações de líderes, dizendo que o grupo de dança é insubmisso, não se envolvem nas demais atividades da igreja e não se deixam tratar. É por esta razão que muitos líderes nas igrejas fecham o coração para os grupos de dança, pois estes muitas vezes não dão testemunho, não possuem caráter aprovado, enfim não se comportam como ministros. Pessoas imaturas ou novas na fé, não devem fazer parte do ministério com danças. O líder como os demais, deve então ser exemplo em maturidade e caráter, para que o ministério cumpra seu propósito.

5- Sensibilidade espiritual
A sensibilidade Espiritual é algo fundamental para o líder de louvor e adoração com danças. Deve-se buscar em oração antes da ministração, qual é a direção de Deus para aquele momento. Às vezes o Espírito nos dirige a ministrar com bandeiras profetizando às nações, em outros momentos o Senhor nos dirige em relação ao o que dançar e como fazê-lo. É necessário que o dirigente entenda que através da dança nós oramos, intercedemos, profetizamos, louvamos e adoramos. Tudo isto tem que ser feito debaixo de uma direção de Deus e para isto é necessário ter sensibilidade.

6- Preparo em oração
É fundamental que antes de uma ministração, a equipe ganhe tempo em oração diante de Deus. Se lavando diante de Deus, se consagrando, profetizando e buscando direção para aquele momento. Infelizmente, ainda vemos grupos que chegam ao culto em cima da hora da ministração, outros que gastam horas com a arrumação das roupas, do cabelo, da maquiagem e ficam somente alguns poucos minutos orando. Penso sim que devemos ser excelentes nas vestimentas e na forma de nos apresentarmos diante de Deus, mas devemos nos lembrar que esta excelência deve ser também de coração, nos apresentando pra Deus em santidade e intenso desejo da presença dEle. Um dia um pastor amigo, me disse uma frase que jamais vou esquecer. Ele disse que no louvor e adoração com danças, Deus não vê dança, vê corações, semelhantemente no louvor e adoração com música Deus não ouve música, ouve corações. Nossos corações devem então estar limpos e adornados para que o nosso louvor e adoração cheguem ao coração de Deus.

7- Estar em sintonia com o dirigente de Louvor com música
Para que haja ordem no culto, o dirigente de louvor com danças, deve estar em sintonia com o dirigente de louvor com música. Deve estar atento para direções como: Vamos nos curvar diante de Deus, Vamos aplaudir ao Senhor, Vamos nos aquietar... É muito estranho quando o dirigente de louvor dá uma direção, toda a congregação o segue menos a equipe de dança. Isto pode chegar a acontecer por falta de atenção ou mesmo orientação. Do mesmo modo acontece o oposto, o dirigente da dança pode ter uma direção de Deus e o dirigente da música deve ter sensibilidade para o seguir. Uma pessoa madura espiritualmente sabe estar em adoração e ao mesmo tempo estar ciente de tudo o que está acontecendo ao seu redor. O dirigente da dança e o dirigente da música devem andar em sintonia, para que a congregação tenha segurança de que todos estão caminhando para um mesmo objetivo em unidade de coração.

Todas estas orientações sobre as qualidades do dirigente de louvor e adoração com danças poderão ser uma benção, se seguidas com alegria, humildade e com a consciência de que o Espírito Santo deve ter total liberdade para ministrar como lhe apraz no meio da congregação. Lembrando, porém, que a liberdade no Espírito é condicionada à uma vida de santidade e submissão, a exemplo de Jesus. Que Deus te abençoe!

Pra. Luciana Pinheiro Torres

Fonte: http://www.diantedotrono.com.br/ministerios_amigos/lst_materia.asp?nCodMateria=1138

6 comentários:

  1. uma orientação q tocou meu coração,precisava ler estas palavras.troxe para mim uma nova visão da dança,algo q ja sabia mais precisava colocar em pratica.Deus abençõe vcs....

    ResponderExcluir
  2. SÃO ORIENTAÇÕES ABENÇOADAS, DIRECIONADAS DO SENHOR PARA AS NOSSAS VIDAS, QUE PRECISAMOS A CADA DIA SERMOS ADORADORES POR EXCELENCIA! DEUS VOS ABENÇOI!

    ResponderExcluir
  3. realmente precisamos estar sempre nos renovando para que nossa adoraçao nao seja negligente Deus abençoe voces sempre nos ajudando a chegar mais perto de Deus obigada.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Texto abençoado. Estava navegando pelo google e achei vocês.
    Somos a Cia Sublime de Dança, do ES. Venha conhecer nosso blog?
    Estamos te seguindo. Graça e paz
    www.ciadeartessublime.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Ministro de música


    1. Toda pessoa tem o sagrado direito de frequentar os cultos e atividades da igreja e de sentir-se muito feliz, sereno, confortado, em qualquer idade.

    2. O ouvido tem alta sensibilidade e suporta confortavelmente, por uma, duas horas, no máximo, 50 decibéis. Passou disso, além do mal que faz à saúde, incomoda muito.

    3. Todo instrumento pode ser usado no louvor, mesmo sabendo que há aqueles próprios para o culto.

    4. Culto não é show.

    5. Não existe hino ou música velhos.

    6. É preciso selecionar hinos próprios para cada ocasião, com mensagem, poesia, melodia, harmonia, ritmo. Ritmos assincrônicos desorganizam a química cerebral. Derrubam pessoas e até muros. Josué 6:20 Juízes 7:18

    7. Fundo musical durante o culto não pode interferir, desconcentrar, incomodar; use-o com muita inteligência. Ninguém suporta um teclado dedilhado pra lá e pra cá, aleatoriamente. Se for um hino próprio para a ocasião, baixinho, tudo bem, mas notas soltas...nem pensar.

    8- A música tem o poder de mobilizar as estruturas mentais.


    9- Culto animado não é sinônimo de barulho. Reverência, participação, adoração, comunhão, consagração, dedicação, apontam para o equilíbrio. O templo não é um lugar sombrio, triste, com silêncio sepulcral, é um espaço de alegria, louvor, transformação, decisões.


    10- Se você faz parte da equipe de músicos, nunca fique se distraindo e brincando com os instrumentos no altar, após o culto.

    “E Quenanias, príncipe dos levitas, tinha cargo de entoar o canto; ensinava-os a entoá-lo, porque era entendido nisso.” 1º livro de Crônicas 15.22.


    Ivone Boechat

    ResponderExcluir
  6. Ambientes barulhentos agridem o bebê

    Na 22ª. segunda semana de gravidez, a cóclea, órgão que abriga todos os componentes da audição dentro da orelha interna, já está completamente formada. Isso quer dizer que o bebê ouve a mesma coisa que você.

    Estudos já demonstraram que o líquido amniótico pode amplificar alguns tipos de som, como os muito graves. A voz da mãe também é amplificada em cerca de 5 decibéis.

    Um estudo chegou a mostrar que mulheres que trabalhavam oito horas por dia num ambiente de muito barulho (em volumes que exigiam proteção auricular) corriam mais risco de ter bebês com problemas auditivos.

    Além disso, é preciso considerar que um barulho muito forte faz com que o organismo da mãe produza hormônios ligados ao estresse, fazendo o coração acelerar, o que não é bom para a saúde cardíaca do bebê.

    Os bebês, desde o útero materno, ouvem e reconhecem vozes. Sabe-se também que são capazes de sentir emoções da mãe, de se assustar e que após o nascimento terão memórias da vida intra uterina.

    O psiquiatra canadense Thomas Verny explica no livro “Bebês do Amanhã: Arte e Ciência de Ser Pais”, que desde os primeiros meses de gestação, a criança é capaz de identificar certos acontecimentos.

    “Com 4 meses e meio, se você acender uma luz forte na barriga de uma gestante, o bebê vai reagir. Se fizer um barulho alto, ele tenta colocar as mãos nas orelhas. Se colocar açúcar no liquido amniótico, ele vai dobrar a ingestão. Bebês gostam de açúcar! Quando se coloca algo amargo, o bebê para de tomar o líquido e faz cara feia. Eles sentem a diferença entre doce e amargo, reagem à luz, ao toque e ao barulho.”

    Vídeo-game e todos os brinquedos sonoros devem ser avaliados pelo som que emitem. “O sistema auditivo é um órgão sensorial extremamente delicado e passível de lesões se for muito carregado, principalmente em bebês, que têm uma sensibilidade auditiva muito apurada. A célula ciliada do ouvido interno do bebê sofre com o ruído excessivo e esse abuso pode acabar levando à sua destruição”, alerta o otorrinolaringologista Jamal Azzam.

    A indicação é sempre manter os pequenos longe de ambientes muito barulhentos, seja um local fechado ou na rua, onde o som do trânsito também causa incômodo. Se for inevitável fugir desses locais, o ideal é proteger os ouvidos da maneira certa. “Muitos pais usam algodão para tapar o canal auditivo, mas isso não garante a vedação necessária do som. Uma opção é usar fones de ouvido de boa qualidade que preservem a audição”, finaliza Azzam.

    “Há uma região no cérebro chamada “tálamo”. Esta é a parte do cérebro na qual a música é percebida. No tálamo as emoções, sensações e sentimentos são percebidos antes destes estímulos serem submetidos às partes do cérebro responsáveis pela razão. A música, portanto, não depende do sistema nervoso central para ser assimilada imediatamente pelo cérebro. Ela passa pelo aparelho auditivo, pelo tálamo e depois vai ao lobo central.

    A “batida” que substitui o ritmo provoca um estado de emoção que a mente não discerne. Desorganiza a química. As batidas graves da percussão afetam o líquido cerebrospinal.
    O volume (amplificado) das músicas acima de 50 decibéis prejudica a audição e a saúde cerebral”.


    Ivone Boechat

    ResponderExcluir